Inovação é a marca do projeto desenvolvido pelo Departamento de Eletromecânica e Sistemas de Potência – DESP do Centro de Tecnologia - UFSM em parceria com a FATEC.

segunda, 23 de abril de 2018.

Prof. Tiago e a equipe da CEEE.

O projeto “Desenvolvimento e Aplicação de Sistema Integrado Inovador visando a Renovação do Parque de Transformadores da CEEE-GT – Fase II", coordenado pelo professor Dr. engenheiro eletricista Tiago Bandeira Marchesan, Diretor do Centro de Tecnologia, da Universidade Federal de Santa Maria – UFSM tem o objetivo de propiciar as concessionárias de energia elétrica uma melhor gestão de seus ativos ao longo da vida útil dos mesmos.

Neste contexto, os transformadores de potência são os equipamentos mais importantes e mais críticos no sistema de transmissão e distribuição de energia, além de serem os ativos com maior custo em uma subestação. Estes correspondem a aproximadamente 60% do investimento total necessário para a instalação de uma subestação de alta tensão. Observado isso, e de acordo com a resolução normativa Nº 443/2011 da Agência Nacional de Energia Elétrica/ANEEL, 2011 sua revisão dada pela resolução Nº 643/2014 - ANEEL, 2014, em seu Art. 3º estabelece que a concessionária de transmissão deverá encaminhar à ANEEL, ao ONS, à Empresa de Pesquisa Energética – EPE e ao MME, até 1º de fevereiro de cada ano, relação dos equipamentos com vida útil remanescente de até quatro anos, incluindo aqueles com vida útil esgotada, considerando a vida útil calculada a partir das taxas de depreciação estabelecidas no MCPSE, e dos equipamentos que não têm mais possibilidade de continuar em operação, ANEEL, 2014.Diante disso, o conhecimento das condições de operação dos transformadores de potência é essencial, a fim de,  auxiliar na estratégia de manutenção e substituição destes equipamentos, bem como, para melhorar a confiabilidade do sistema.

O coordenador explica que durante a última década, diferentes métodos de monitoramento e diagnóstico, com base em uma ampla variedade de efeitos físicos, elétricos, mecânicos, térmicos e ópticos, têm sido desenvolvidos para avaliar a condição dos transformadores de potência. Estas metodologias, denominadas de health index, utilizam testes realizados durante a vida útil do equipamento e permitem a avaliação do estado, fornecendo informações sobre o envelhecimento e recomendam medidas para melhorar a confiabilidade do equipamento. Porém, a maioria não elenca o fator de importância do equipamento para o sistema ao qual está conectado. E, atualmente, há uma grande dificuldade em se estabelecer critérios confiáveis e precisos no processo de substituição de transformadores de potência, baseados não somente na condição de operação, mas também, na importância destes equipamentos para o sistema em que estão operando.

Deste modo, as metodologias de HI existentes na literatura, podem ser inexatas se utilizadas como estratégias de substituição de transformadores de potência sem considerar a realidade dos sistemas aos quais estes equipamentos estão inseridos. Além disso, os métodos existentes na literatura, para elencar a necessidade de substituição ou reforma de transformadores de potência em subestações, são inaplicáveis a realidade brasileira, devido ao panorama de dados das concessionárias de energia brasileira não ser compatível com tais metodologias.
Considerando essas premissas, neste trabalho a proposta metodológica é baseada em uma análise multivariável, com o objetivo de elencar a necessidade de substituição de transformadores de potência em subestações, considerando as condições de operação do equipamento e fator de impacto no sistema, a fim de, promover um melhor planejamento de investimentos por parte da distribuidora. Fazem parte da proposta:
1. Desenvolver uma metodologia para a identificação de subestações mais críticas e menos flexíveis no momento de contingência, no que tange a existência de transformadores em reserva e transformadores operando em paralelo;
2. Desenvolver uma metodologia, mais realista e aplicável à realidade das distribuidoras de energia brasileiras, para o cálculo do health index;
3. Avaliar o envelhecimento adicional de unidades transformadoras, a partir das temperaturas internas de operação destes equipamentos, obtidas através de um modelo térmico;
4. Ranqueamento de transformadores de potência a partir da metodologia proposta;
5. Analisar a influência da importância dos transformadores nas subestações em que operam no processo de ranqueamento dos equipamentos;

Como produto esta é uma Plataforma Inteligente para planejamento da substituição do parque de transformadores da CEEE-GT, baseado na aquisição em tempo real dos dados dos medidores que estarão instalados no parque de transformadores. Sua principal característica inovadora, baseada no conceito de aplicação de algoritmos, previamente desenvolvidos, em uma análise em tempo real.

O coordenador Tiago comenta que o projeto em sua fase I baseou-se no desenvolvimento teórico, e na fase II em que de encontra está na aplicação ao sistema real da CEEE – para a gestão de aditivos em subestação de energia elétrica. O coordenador lembra também, que este projeto é um empreendimento firmado pela Agência de Inovação e Transferência de Tecnologia – AGITTEC da UFSM.

O professor Tiago fala da importância da FATEC para a pesquisa que serve de elo entre a UFSM e os órgãos financiadores de projetos de Pesquisa e Desenvolvimento que possuem transferência de tecnologia para a transformação do país, salienta o professor.

Kelly Martini – MTb137.25
Assessora de Imprensa da FATEC