Diagnóstico por imagem no HUSM tem melhor qualidade devido a tecnologias desenvolvidas no CT em parceria com a FATEC - Universidade – Empresa

quinta, 10 de dezembro de 2015.

O projeto denominado Pesquisa em Métodos Computacionais Aplicados a Saúde/Imagens Diagnóstica: Interação Universidade – Empresa para a inovação e transferência de tecnologia, coordenado pelo Prof. Dr. Eng. Marcos Cordeiro d’Ornellas, do Centro de Tecnologia da Universidade Federal de Santa Maria – UFSM, tem como principal objetivo estudar, analisar e propor novas técnicas relativas aos estudos em diagnóstico por imagens. O diagnóstico por imagem é a especialidade da medicina que estuda órgãos ou estruturas do corpo humano através da utilização de diversos sinais que geram imagens médicas.

As primeiras imagens médicas foram produzidas por transmissão de raios X através do corpo do paciente e registradas em filmes radiográficos, os quais eram revelados por processos químicos. Nas últimas décadas, a utilização de filmes radiográficos vem sendo substituídas gradativamente por tecnologias digitais. Muitos hospitais e clínicas estão aderindo às tecnologias digitais principalmente pela introdução de aplicações web, que aumentam a capacidade de comunicação e compartilhamento de informação, além da redução de custos.

Com a introdução dessas tecnologias e o crescente volume de imagens diagnósticas, surgem técnicas para agilizar a realização de laudos radiológicos. Assim, evidencia-se a dependência de pesquisa e inovação para a criação de novos meios que auxiliem os profissionais de saúde no processo de diagnóstico por imagens. Neste contexto a UFSM, possui perante a comunidade local, regional e nacional um papel diferenciado das indústrias de manufatura ou serviços, assumindo o compromisso do desenvolvimento do ensino, pesquisa e extensão. Por outro lado, a empresa, possui como principal objetivo atender as demandas existentes no mercado consumidor, e, para tanto, investe em pesquisa, desenvolvimento tecnológico e estratégias competitivas.

As empresas possuem conhecimento das demandas de mercado, disponibilidade de recursos para investimento em inovação e capacidade para implementar novas ideias com finalidades práticas. A Universidade, por sua vez, detém conhecimento científico, pesquisadores e estrutura que podem contribuir de forma significativa em pesquisas para a evolução das técnicas aplicadas no setor produtivo.

No desenvolvimento deste projeto, a proposta inicial prevê a ampliação dos laços com a empresa Animati Computação Aplicada em Saúde para a realização de pesquisas em métodos computacionais aplicados a saúde/imagens diagnósticas, buscando a formalização da parceria e o desenvolvimento de pesquisas científicas de forma colaborativa. Desenvolvida na Incubadora Tecnológica de Santa Maria – ITSM/UFSM (http://www.ufsm.br/itsm), a Animati é uma empresa contemplada no PRIME/FINEP 2009/2010, um programa criado pelo Ministério da Ciência e Tecnologia e pela FINEP para apoiar empresas nascentes inovadoras no Brasil.

A empresa recebeu o aporte de recursos não-reembolsáveis para o desenvolvimento da Animati PACS - Sistema para Arquivamento e Comunicação de Imagens Diagnósticas. A Animati (http://animati.com.br) desenvolve soluções em tecnologia da informação que auxiliam nos procedimentos de diagnóstico e tratamento nas áreas da saúde. Dentre as principais soluções ofertadas pela empresa destaca-se o sistema de PACS/Radiologia Digital.

Animati Computação Aplicada em Saúde - Convênio Universidade-Empresa

A Empresa Animati surgiu no ano de 2007, mas foi fundada oficialmente em abril de 2008, quando alguns sócios perceberam a necessidade da criação de novas tecnologias no Laboratório de Computação Aplicada da Universidade Federal de Santa Maria LaCA-UFSM. Aproveitando os métodos inovadores, e do grande potencial a ser explorado, foi desenvolvido por alunos de graduação, pós-graduação e pelos próprios professores a comercialização e a sua aplicação em diversas áreas do conhecimento e da produção industrial. O potencial não era aproveitado, devido a rotatividade de alunos que se encarregavam de desenvolver os softwares, o que não permitia a continuidade do projeto por tempo hábil para atingir maturidade e qualidade que um sistema direcionado a usuários não desenvolvedores precisa. Foto: Jean Berni

Somente uma empresa de base tecnológica formada por uma equipe de profissionais poderia atender aos requisitos necessários e se estabelecer no mercado. Em junho de 2008 a empresa é aceita na Incubadora Tecnológica de Santa Maria – ITSM, com isso, os sócios trabalham na prospecção de clientes e na estruturação gerencial e administrativa.

Desde a sua formação a Animati teve o apoio científico e de infraestrutura do LaCA e do Instituto de Radiologia São Lucas. A Animati tem por objetivo levar ao mercado soluções de computação aplicadas à saúde, propondo ferramentas para melhoria dos processos organizacionais que seguem a evolução das tecnologias de software. A Animati mantém importantes parcerias com o meio acadêmico, o que possibilita um modelo de prestação de serviços que acompanha as pesquisas científicas. Possui autorização de funcionamento junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA, o que reflete o compromisso da empresa em seguir as políticas reguladoras e de normatização nacional. A empresa conta com mais de noventa casos de sucesso, com destaque para projetos implementados nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Minas Gerais e Paraíba. 

No ano de 2013 a Animati, firmou um acordo de parceria para a pesquisa e desenvolvimento científico e tecnológico com a UFSM por intermédio do LaCA e com parceria com a FATEC. Como resultado desta parceria, cedeu o Animati PACS sem ônus parar o Hospital Universitário de Santa Maria. O PACS é baseado em padrões internacionais e desenvolvido com um conjunto de tecnologias que permitem melhorias contínuas. A solução propõe ferramentas para auxiliar o processo de diagnóstico por imagens, aumentando a produtividade de todos os profissionais envolvidos. O Animati PACS foi desenvolvido para se adaptar de forma modular, servindo de base para o processo de diagnóstico ou integrado a outros softwares existentes.

Kelly Martini

MTb 137.25

Assessora de Imprensa da FATEC