1º SIPAT – FATEC - Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho

domingo, 15 de novembro de 2015.

Quinto dia – 13 de novembro de 2015

Palestra “O Trânsito como Fenômeno Social” ministrada pelo Policial Rodoviário Federal Heder Vieira Macedo.

A Polícia Rodoviária Federal é um órgão vinculado ao Ministério da Justiça que busca uma aproximação social do motorista com a lei. A PRF é uma célula estratégica que promove a segurança e a proteção das pessoas nas estradas, através da preservação do meio ambiente, salvando vidas, combatendo o crime, realizando escoltas e garantindo direitos. Estas ações são realizadas há mais de 80 anos e foi no governo do Presidente Washington Luiz em 1928, que a PRF foi criada, antes os Policiais Rodoviários eram conhecidos como Inspetores de Tráfego.

O modal rodoviário se ampliou numa progressão geométrica nos últimos tempos, mas quanto a estrutura as estradas ainda não são as ideais. Segundo o policial Heder o trânsito saturado atinge diretamente o comportamento das pessoas de forma estressante contribuindo com as dificuldades do cotidiano, se ampliando com as problemáticas em geral de família, de emprego, de ordem financeira, de desestrutura psíquica e emocional.

O que vem tornando o trânsito como um fenômeno desafiador para todo o indivíduo. O descuido ao volante não provoca apenas um acidente, mas demostra o quanto o condutor está despreparado para o volante, o que resulta em muitas vezes em violência com o coletivo, ao ocasionar em acidentes de grande proporção, muitas pessoas são feridas ou perdem a vida, devido uma simples ação descuidada de um indivíduo.

Fatores de risco para o condutor:

Excesso de velocidade,

Embriaguez ao volante,

Ultrapassagem em via perigosa, 

Desatenção ao volante,

Uso do celular e das novas tecnologias em detrimento da exclusiva atenção à via,

Cansaço, sono, são fatores que aliados à más condição das estradas, causam acidentes com muitos feridos e mortos. Para o estado, o custo é bastante elevado ainda se tiver que ser tratado pelo Sistema Único de Saúde –SUS, isso contribui para a superlotação, que se agrava ainda mais se o acidente provocar incapacidade temporária, invalidez ou que o paciente tiver que ficar encostado pelo INSS. O policial Heder apresentou alguns vídeos que ilustram de forma chocante que leva os acidentes à destruição total dos veículos e das vidas que restam ou que tem que ser reconstruídas.

O policial Heder pondera convidando todos a refletir: são as estradas as grandes causadoras dessas catástrofes ou são os homens que matam e morrem pela ignorância e pela conduta equivocada? Resta a constatação “a vida não tem preço, e o maior valor de todos é preservá-la em toda a sua plenitude” o policial encerrou a palestra com muita emoção e com muitas palmas.

Kelly Martini

MTb 137.25

Assessora de Imprensa da FATEC