Projeto do CT – UFSM busca atender demandas e desenvolver tecnologias em módulos inversores com alto rendimento.

terça, 27 de fevereiro de 2018.

Protótipo desenvolvido no GEPOC - Módulo Inversor.

Mais um projeto de grande valor para a comunidade acadêmica da Universidade Federal de Santa Maria – UFSM. O projeto intitulado “Desenvolvimento de um módulo inversor de alta densidade de potência e alto rendimento” coordenado pelo engenheiro eletricista, professor Dr. Cassiano Rech, membro do Grupo de Eletrônica de Potência e Controle – GEPOC, do Centro de Tecnologia da UFSM – CT, tem trazido interessantes resultados à sociedade. Para melhores esclarecimentos o coordenador explica os objetivos do projeto:

1. Analisar e desenvolver um módulo inversor trifásico de 30KVA, com elevado rendimento e alta densidade de potência;
2. Definir uma topologia de inversor trifásico de elevado rendimento e alta densidade de potência com custo competitivo no mercado;
3. Definir tecnologias de materiais semicondutores e magnéticos para uso no módulo inversor;
4. Definir uma estratégia de modulação que permita a síntese de formas de onda com reduzido conteúdo harmônico sem penalizar o rendimento do conversor;
5. Comprovar experimentalmente os resultados teóricos previamente obtidos do conversor;

O projeto tem como justificativa o fato de haver um crescente surgimento de novas tecnologias de materiais semicondutores e magnéticos que possibilitam a operação de conversores estáticos com maiores freqüências de comutação visando reduzir o volume e o peso destes conversores. Além disso, as perdas em condução e de comutação também têm reduzido, permitindo a obtenção de conversores com elevado rendimento.
Por outro lado, a operação com maiores freqüências de comutação e o desenvolvimento de conversores com elevada densidade de potência resulta em outros desafios como: interferência eletromagnética; dificuldades de prototipação; dissipação térmica; entre outros. Aliado a essas questões, cada vez mais busca-se o desenvolvimento de estruturas modulares de conversores estáticos, de tal forma que pequenas modificações de hardware e software permitam expandir os níveis de tensão, corrente e/ou potência pelos sistemas.

Aluno mestrado Ademir Toebe,
orientando do coordenador
Cassiano Rech.

Com isso, pode-se ampliar as faixas de aplicação sem a necessidade de dominar diferentes tecnologias e/ou modelos de componentes. Contudo, o desenvolvimento de estruturas modulares de conversores, que apresentem elevada densidade de potência e rendimento depende de inúmeros fatores, tais como: topologia empregada; tecnologia de semicondutores e materiais magnéticos; estratégia de modulação, entre outros.

O coordenador Cassiano destaca, “desde 2011 trabalhamos com a Schneider Electric/CP Eletrônica, empresa com sede na França, sendo que este é o quinto projeto realizado em parceria com a empresa, demonstrando uma relação consolidada na confiança entre a equipe de pesquisadores do GEPOC e a CP Eletrônica, e essa é sem dúvida é uma conquista que traz resultados muito significativos para ambos”, salienta o pesquisador. Apesar das dificuldades de se fazer pesquisa de qualidade no Brasil, o professor ainda fala da importância do desenvolvimento de projetos de pesquisa e inovação em parceria com empresas, lembrando “o quanto se produz na universidade, observadas as demandas que atendem as necessidades de empresas e da sociedade, o quanto se pode produzir em termos de teoria, técnica e tecnologia, com a formação de alunos em temas atuais e de interesse, e com constante atualização de laboratórios, é um grande diferencial”, reitera o coordenador Cassiano.

É essencial estabelecer uma cultura, dentro e fora da Universidade, do fazer pesquisa com trato do desenvolvimento e inovação tecnológica amparado pelo financiamento de empresas, com menores empecilhos e melindres, visando uma maior produção técnica e científica. O professor Cassiano destaca a importância da FATEC na execução do projeto, indicando a instituição como uma parceira fundamental na gestão administrativa e financeira do mesmo.

Kelly Martini – MTb137.25
Assessora de Imprensa da FATEC