Projeto inovador do CTISM busca sanar dificuldades de forma inteligente em religações de energia elétrica em casos de interrupção inesperada.

sexta, 16 de fevereiro de 2018.

Reunião e testes para o desenvolvimento dos processos
e técnicas.

O projeto de P&D do coordenador Dr. Olinto César Bassi de Araújo professor do Colégio Técnico Industrial – CTISM – UFSM, com o título: “Desenvolvimento de uma metodologia para automação dos procedimentos de manobra em redes de distribuição integradas ao ambiente computacional SIGPROD” conta com a parceria da CEEE-Distribuidora, e tem como objetivo desenvolver uma ferramenta computacional inteligente para auxiliar na reconfiguração da rede de distribuição de energia elétrica em ocorrências operacionais ou emergenciais. O coordenador professor Olinto explica que a reconfiguração de uma rede de distribuição implica na análise do estado de centenas de chaves, e a inteligência computacional permite um estudo eficiente das combinações possíveis dentro de um tempo aceitável para situações práticas. As restrições do circuito e a natureza discreta das chaves faz com que seja necessário o uso de técnicas de otimização heurística. Os algoritmos a serem desenvolvidos serão incorporados ao protótipo de aplicativo SIGPROD, desenvolvido em outro projeto P&D em parceria com a CEEE-Distribuição, de modo a contribuir com a operação e planejamento do sistema e melhorar a confiabilidade do suprimento de energia elétrica, aumentando a satisfação dos consumidores e evitando a aplicação de penalidades à concessionária. Quando a concessionária otimiza suas ações, melhorando o sistema de distribuição de energia elétrica, quer dizer, mais rapidez e eficiência na entrega do serviço que presta redução do custo da energia não distribuída.

A reconfiguração de rede é uma linha de pesquisa investigada há anos, para resultar em menor tempo do consumidor sem energia. Não obstante, o amadurecimento, e muitas melhorias ainda são vislumbradas em pesquisas recentes e a inovação pode ser percebida na busca por melhores técnicas de otimização, o que, atualmente, conduz à combinação entre heurísticas e programação matemática. Até o momento, as pesquisas visam minimizar perdas, com restrições de queda de tensão, ampacidade e radialidade do alimentador, no caso de ocorrência de temporais, chuvas torrenciais e colisões em postes. Com isto, quando há uma interrupção da energia em certos pontos, ao invés de uma grande parte destes clientes ficarem sem o serviço, menos residências serão prejudicadas a partir da implantação deste projeto.

O coordenador Olinto observou que as restrições impostas pela proteção usualmente não são consideradas em procedimentos de reconfiguração da rede, assim, sempre que uma nova configuração for estabelecida, o setor de proteção é requisitado a realizar um novo estudo de coordenação e seletividade. Neste sentido, surge a originalidade da pesquisa, que é modelar matematicamente a natureza multicritério do problema e, levando em conta os recursos já disponíveis no SIGPROD, permitindo que a reconfiguração atenda a requisitos de operação e proteção concomitantemente. Para ser aplicado, o ambiente do SIGPROD já proporciona a elaboração rápida e eficiente de estudos de proteção para uma dada configuração de rede. Ao inserir rotinas auxiliares como, por exemplo, fluxo de potência e cálculo das correntes de curto-circuito, será possível então, atender os requisitos exigidos pelos estudos de reconfiguração em nível de proteção. Atualmente não existe ferramenta computacional similar disponível no mercado, e o uso desta resultará em maior segurança aos operadores nos procedimentos (ordem de manobras) para restauração da rede em situações de contingência, bem como, auxiliará os profissionais que atuam na fase de planejamento e expansão do sistema. Os procedimentos executados no ambiente computacional poderão ser aplicados em qualquer concessionária de distribuição de energia elétrica para automatizar os procedimentos operacionais cotidianos.

A relevância do projeto

A equipe que executará as ações possui amplo domínio da área de proteção e análise de sistemas elétricos, que é a base para o desenvolvimento do tema proposto neste projeto. O modo inovador como o problema será formulado e resolvido favorece a publicação de artigos em revistas nacionais e internacionais, e a equipe envolvida já possui alunos de iniciação científica envolvidos nestes processos, ressaltando-se aí, duas dissertações de mestrado e uma tese de doutorado, que serão elaboradas no transcorrer da aplicação do projeto. Fora a possibilidade de registro da propriedade intelectual junto ao Instituto Nacional de Propriedades Industrial - INPI. Existe a possibilidade de uma das dissertações serem elaboradas por um colaborador da CEEE-D. Com relação à empresa proponente a CEEE-D, pode-se afirmar que a disponibilidade de tal ferramenta computacional servirá para reduzir o tempo homem-hora, otimizando condições de operação do sistema elétrico, além de possibilitar o uso mais apropriado da infraestrutura disponível, postergando investimentos. Acrescenta-se ainda, a possibilidade de uma resposta mais rápida da concessionária aos eventos de contingência (de curta ou longa duração).

A viabilidade econômica do projeto

O uso do aplicativo resultante possibilitará maior segurança e agilidade nos estudos de planejamento e operação em regime normal ou contingência, implicando em melhoria na confiabilidade, segurança e restauração do serviço. Com isto, o SIGPROD se torna uma ferramenta de grande valor comercial, já que os estudos estáticos de planejamento e operação são contemplados. O professor Olinto comenta a participação de outros professores que estão no desenvolvimento desta empreitada entre eles: Guilherme Dhein (CTISM), Adriano Peres Morais (CTISM) e Ghendy Cardoso Junior (CT). O professor Olinto fala da importância do apoio da FATEC na administração dos recursos da pesquisa, desde a compra de material até a interlocução junto a CEEE-D, reitera o coordenador.

Kelly Martini – MTb. 137.25
Assessora de Imprensa da FATEC