Projeto do MICROVET/Laboratório de Microbiologia Veterinária do Departamento de Microbiologia e Parasitologia/CCS-UFSM recebe certificação de Acreditação ABNT NBR ISO / IEC 17025 2005

segunda, 17 de outubro de 2016.

carimbo
Agitador Orbital.

O projeto “Diagnóstico da Brucelose Animal” Coordenado pelo Professor, Dr. Geder Paulo Herrmann, do Departamento de Microbiologia e Parasitologia, responsável pelo Laboratório de Microbiologia Veterinária/MICROVET, recebeu no mês de julho de 2016, do Ministério da Indústria Comércio Exterior e Serviços a concessão de Acreditação sobre o Sistema de Gestão de Laboratórios na Área de Saúde Animal que estabelece critérios de qualidade da ABNT NBR ISO / IEC 17025 2005.Este quesito permitiu ao MICROVET solicitar junto ao Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento na Coordenação-Geral de Apoio Laboratorial - CGAL, o Credenciamento do Laboratório de Brucelose Animal, na Área de Saúde Animal, as Análises no Diagnóstico da Brucelose de bovinos nos seguintes Escopos.

Instrumento utilizado para testes de detecção da Brucelose.

O projeto foi aprovado no ano de 2012 com inicio da execução no ano de 2013, no Programa de Polos Tecnológicos da Secretaria de Desenvolvimento Econômico Ciência e Tecnologia do Estado do Rio Grande do Sul, com valor aproximado de 314 mil reais. O projeto busca diagnosticar em rebanhos bovinos, a brucelose que é uma doença infecciosa que atinge animais domésticos, manifestando-se na forma de abortos ao final da gestação de bezerros ou trazendo fraqueza e debilidade ao animal. A brucelose é uma doença causadora de perdas relacionadas à baixa eficiência reprodutiva e que tem como consequência, a diminuição na produção leiteira e no nascimento de crias nos rebanhos.

Com os abortos ocorre aumento nos intervalos entre os partos, o que leva a diminuição da lactação, e junto aos abortos, ocorre a alta frequência de natimortos (bezerros mortos antes de nascer) ou ainda, bezerros nascidos muito fracos, que morrem logo após o nascimento ou que têm o crescimento prejudicado, com a redução no número de animais para comercialização.  Na equipe do coordenador Geder, colaboram alunos de graduação e técnicos administrativos que contribuem com a pesquisa e trazem desenvolvimento ao projeto.O coordenador Geder comenta que os recursos atuais obtidos pelas análises a terceiros são recolhidos para a FATEC e são utilizados atualmente para aquisição de Material de Consumo, pagamento de Bolsas de Graduação promovendo a continuação do projeto.

Kelly Martini – MTb 137.25
Assessora de Imprensa da FATEC