LADOPAR – CCR – UFSM desenvolve pesquisa para auxiliar o produtor rural e vitalizar a saúde dos animais no campo.

segunda, 12 de setembro de 2016.

carimbo
Equipe do Projeto.

Coordenado pelo professor Dr. Médico Veterinário Luís Antonio Sangioni, no Laboratório de Doenças Parasitárias – LADOPAR do Departamento de Medicina Veterinária Preventiva – DMVP do Centro de Ciências Rurais da UFSM, o projeto de “Monitoramento e Diagnóstico das Infecções Parasitárias dos Animais Domésticos e de Produção na Saúde Animal - Etapa II”,  que conta com a Co-orientação das professoras Dras. Médicas Veterinárias Fernanda Silveira Flores Vogel e Sonia de Ávila Botton, que é Supervisora Financeira e Técnica do projeto. Conta também com uma equipe de alunos, dentre eles, quatro doutorandos, quatro mestrandos, um pós-doutor, oito alunos de iniciação científica, um biomédico que é também doutorando, um técnico administrativo farmacêutico e quatro médicos veterinários residentes Quem desenvolve as pesquisas são os mestrandos e doutorandos, que através dessas experiências, mantém o foco na construção da dissertação.

O objetivo do projeto é prestar serviços de diagnóstico sobre as afecções parasitárias, um serviço aos médicos veterinários, produtores rurais do estado do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e do Paraná, e eventualmente do estado do Mato Grosso, bem como, avaliar a epidemiologia dos principais agentes parasitários dos animais domésticos.

Equipe do Projeto.

As enfermidades parasitárias são responsáveis por grandes perdas econômicas na produção pecuária, devido principalmente, ao aumento considerável nos custos de produção, da necessidade de aplicação de antiparasitários, da diminuição das taxas de conversão alimentar e redução dos índices de fertilidade.

A forma mais comum de controle de endo e ectoparasitas nas criações de animais de produção e de companhia, se faz através do uso de drogas antiparasitárias. Além disso, para controlar essas infecções, é necessário adotar medidas preventivas, que são, a utilização de exames coproparasitológicos (fezes), sorológicos (sangue) e testes in vitro de susceptibilidade de drogas, que tem por objetivo avaliar o grau da infecção por parasitas dos animais e verificar a susceptibilidade às drogas antiparasitárias e assim, instituir programas de tratamentos estratégicos.

Através destas observações percebe-se a urgência e a necessidade de promover o suporte técnico aos produtores rurais referente à epidemiologia das infecções parasitárias, a utilização de exames laboratoriais para auxiliar nas medidas de controle, as formas corretas de utilização dos produtos antiparasitários e desenvolvimento de capacitação de recursos humanos rurais. Dessa forma, o projeto busca a promoção da sanidade dos animais que é reverter em maior lucro e qualidade de vida para os produtores rurais, evitando prejuízos no campo, com abortos, incidência de parasitas, perda de peso e diminuição do leite, por exemplo.

Os clientes deste projeto são os produtores rurais de pequeno, médio e grande porte de atividade pecuária de diferentes espécies animais, cooperativas de produtores, profissionais de indústrias e laboratórios farmacêuticos, agroindústrias, frigoríficos, clínicas e hospitais veterinários, criatórios de animais de natureza pública ou privada e quaisquer outros profissionais de estabelecimentos que necessitem de serviços em pesquisa das doenças parasitárias ou afins.
Os produtores recebem palestras e capacitações técnicas com o que há de mais moderno no conhecimento sobre práticas de aplicação de controles parasitários em animais de produçao e de companhia, que buscam atender as demandas do mercado e impulsionar a pesquisa científica. Até este periodo, são realizados aproximadamente de 1500 a 2000 exames por semestre no LADOPAR.
O coordenador do projeto, o professor Luis Antonio salienta que “apesar de a Medicina Veterinária tratar da saúde e da produção animal, o objetivo maior é sempre, o bem estar do homem”. Desta forma, a FATEC viabiliza o desenvolvimento e execução deste projeto e fornece apoio aos pesquisadores e discentes promovendo as atividades de ensino, pesquisa e extensão da UFSM, contribuindo no desenvolvimento do país.

Kelly Martini – MTb.137.25
Assessora de Imprensa da FATEC