Curso de Fruticultura EAD do Colégio Politécnico da UFSM é referência no atendimento a comunidade.

segunda, 08 de agosto de 2016.

carimbo
Curso Técnico em Fruticultura EAD.

O curso Técnico em Fruticultura EAD iniciou suas atividades no Colégio Politécnico de Santa Maria – UFSM em 2014, em sua primeira edição foi ofertado nos polos de Agudo, São João do Polêsine e Santa Maria. Desde então, está sob a coordenação do professor Diniz Fronza, Dr. em Agronomia que desenvolve o Projeto Qualificação e Aprimoramento de Profissionais, Estudantes e Pessoas da Comunidade em Horticultura. O programa busca treinar e capacitar produtores rurais e pessoas que desejem cultivar hortifrutigranjeiros com qualidade e com foco na sustentabilidade.

Os cursos são realizados através de debates, aulas práticas na UFSM, bem como, visita aos produtores rurais, com discussões em grupos, são feitas também, análises de outras realidades distintas da região sul, através de vídeos e leitura de livros e textos publicados. Em todos os casos citados são feitas avalições e há a entrega de questionários aos participantes ao final dos cursos, com a finalidade de melhorar a pesquisa para que se tenha mais exemplos e realidades diversas, ampliando o conhecimento e as discussões acerca do projeto que visa inserir o homem no processo de produção, processamento e comercialização de frutas assim como, desenvolver de forma sustentável a sua região. 

Curso Técnico em Fruticultura EAD.

Segundo o coordenador o projeto atende dez estados do país, sendo eles (RS, SC, PR, SP, MG, ES, BA, MS e TO­) e cinco países da América Latina (Argentina, Uruguai, Paraguai, Bolívia e Venezuela). Em 2015 foram atendidos 8400 produtores rurais, sendo 2908 em cursos de extensão, treinamentos e dias de campo, 3400 pessoas em atendimento direto e indireto na UFSM, sendo estas oriundas de propriedades rurais, atendimentos através das redes sociais, e-mails e por telefones, 2100 pessoas solicitaram livros específicos sobre cultivares diversos em publicações ou textos publicados pela equipe do professor sobre assuntos referentes ao plantio e desenvolvimento. O projeto tem seus primeiros livros publicados sobre as culturas da figueira e sobre a nogueira pecã, que é até o momento único da nogueira no Brasil, e ao total, são 18 títulos sobre (cultivos de frutas cítricas, uva, maçã, poda de frutíferas, irrigação) entre outras.

O professor Diniz enfatiza a importância do foco do projeto e ressalta também com muito entusiasmo os seus resultados:
-Geração de renda e diversificação das atividades;
-Melhoria na qualidade de vida, os produtores podem plantar e colher em sua propriedade;
-Inserção social, realização de atividades em parcerias, associações e cooperativas;

O professor Diniz comenta que no total já foram atendidos mais de 50 mil produtores rurais até o ano de 2015, e somente no treinamento ocorrido na cidade de Anta Gorda –RS, evento em parceria com o Instituto Nacional de Tecnologia Agropecuária – INTA, da Argentina, sobre o cultivo da nogueira pecã foram 408 pessoas no treinamento e instrução, e relembra ainda o  coordenador que o projeto conta com o apoio da UFSM, da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – EMBRAPA, e da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural - EMATER-RS.  

Para o coordenador professor Diniz a FATEC tem uma importância imensurável porque torna possível a melhora na vida das pessoas, fazendo com que as mesmas possam se desenvolver de forma digna e perceber que a mudança de atitude está em si e na sua forma de ver o mundo.

Kelly Martini – MTb. 137. 25
Assessora de Imprensa da FATEC