Centro de Ciências Rurais é líder em inovação tecnológica na área de agricultura de precisão.

segunda, 13 de junho de 2016.

Projeto Aquarius

O Projeto Aquarius - Agricultura de Precisão, que leva este nome, em alusão a inovação e sua capacidade transformadora de processos, trouxe no dia 18 de maio último, um debate pela Agência de Inovação e Transferência de Tecnologia - Agittec, no Centro de Eventos da UFSM, em um seminário sobre Interação entre Universidade e Empresa: Atalhos para a Inovação Tecnológica e Agronegócio, evento ocorrido no Parque de Exposições da UFSM, com 350 presentes e representantes de empresas privadas.

O projeto atualmente encontra-se sob a coordenação do engenheiro agrônomo e professor Dr. Telmo Amado, já contou anteriormente com a coordenação do Prof. Fernando Schlosser e com a participação do professor Enio Giotto. Com o objetivo de desenvolver tecnologias específicas voltadas para a agricultura de precisão, mantendo simultaneidade entre as pesquisas desenvolvidas pela Universidade e a extensão aos agricultores e consultores, que busquem incrementar a produtividade e a eficiência de processos através da tecnologia. A participação de empresas privadas como a STARA, PIONEER e COTRIJAL permite encurtar o tempo necessário entre a geração da tecnologia, a validação e sua aplicação.  O projeto tem como caracteristica a familiaridade e a atenção aos principais problemas e desafios enfrentados pelos agricultores dedicados à produção de grãos.

Conforme o engenheiro de computação, Cristiano Paim Buss, gerente de tecnologia da empresa Stara, Indústria de Implementos Agrícolas, da cidade de Não -  Me - Toque, RS, que em 2008, recebeu o título de capital mundial em tecnologia de precisão, parceira do projeto Aquarius, que é o mais longíveo e contínuo projeto de agricultura de precisão do Brasil. O projeto tem gerado conhecimento que é utilizado no aperfeiçoamento de máquinas agrícolas que serão utilizadas pelos agricultores em suas lavouras. Além disto, destacou a formação de estudantes que posteriormente serão competentes profissionais na área de agricultura de precisão. O engenheiro Cristiano, fala do benefício de  produzir nacionalmente a tecnologia de AP e ser dono da própria tecnologia, e que atualmente a empresa, possui mais de 42 profissionais trabalhando na engenharia, imbuídos no desenvolvimento de software e hardware “de brasileiros para brasileiros”, enfatiza ele, o que é muito importante e significativo para o mercado. Com a nacionalização da tecnologia de AP é possível proporcionar uma mais eficiente manutenção e atendimento pós-venda. A STARA é totalmente voltada ao setor da agricultura de precisão e ressalta que ao longo de seus 18 anos de atuação, desenvolve componentes que atendem a agricultura de precisão com o auxílio de importantes parcerias que foram sendo firmadas com produtores rurais, cooperativas e Universidades, principalmente.

Outro representante de empresa presente no evento foi o engenheiro agrícola Diego Funghetti Pezzini, gerente de produto da AGCO (América do Sul) – Agriculture Company – em Ibirubá, RS, que trabalha no desenvolvimento de plantadeiras e pulverizadores, tratores e colheitadeiras, que une ações para auxiliar os produtores, firmando parcerias com as universidades, assim como, parceria com a UFSM, com o Núcleo de Ensaios de Máquinas Agrícolas – NEMA, percebendo ações individuais para cada caso e situação, buscando o que se produz no meio acadêmico para ser aplicado diretamente nas lavouras, para obter melhores resultados, visando economia e consequentemente, incrementando o lucro para o produtor. Para o engenheiro Diego “evitar desperdícios, diminuir custos é otimizar ganhos, é o que todo homem do campo busca, e a empresa está à serviço destas ações, sempre percebendo a análise prévia da área, insistindo na mudança de cultura de todo produtor, que é a transferência da produção mecânica-manual, para a tecnológica-digital, “o principal desafio dos profissionais da empresa”, explica ele.

Para o engenheiro agrônomo e doutorando Geomar Mateus Corazza, do programa de engenharia agrícola da UFSM, este seminário é mais uma oportunidade de unir os conhecimentos adquiridos na universidade, ouvir os produtores e suas inquietações e perceber o que as empresas da área, vêm trabalhando para sanar as necessidades do campo, observando que há também a preocupação com as questões ambientais e que com projetos que integram a indústria a universidade tem elevada probabilidade de sucesso pelo efeito sinérgico.

Com visão global, se enfatiza a importância da FATEC para o desenvolver do projeto, e o coordenador professor Telmo, destaca, que o projeto Aquarius é uma pesquisa institucional com toda a gestão e prestação de serviço realizada através da FATEC e suas diretrizes são essenciais para disciplinar e regulamentar as relações da iniciativa privada com a Universidade. A condução do projeto além de financiar parcialmente as pesquisas, cria oportunidade para equipar laboratórios, ofertar bolsas de iniciação científica e formar recursos humanos, o que é fundamental, em todos os sentidos.

Kelly Martini - MTb 137.25
Assessora de Imprensa da FATEC