Projeto do CTEFAR do Departamento de Farmácia Industrial CCS/UFSM tem reconhecimento na área farmacêutica.

quinta, 26 de janeiro de 2017.

carimbo

O projeto “Avaliação de Produtos Biotecnológicos e Farmacêuticos” coordenado pelo Farmacêutico Industrial, professor titular, Dr. Sérgio Luiz Dalmora, está sendo executado pelo Centro de Desenvolvimento de Testes e Ensaios Farmacêuticos/CTEFAR, que pertence ao Departamento de Farmácia do Centro de Ciências da Saúde da UFSM, através de convênios FATEC.

Este projeto está habilitado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária/ANVISA do Ministério da Saúde para realização de estudos de medicamentos genéricos como EQFAR-008, e neste contexto, realiza também testes e ensaios de controle de qualidade de medicamentos, garantindo a eficácia terapêutica para uso humano. O laboratório CTEFAR é gerenciado de acordo com as normas ISO-IEC 17025, tendo como gerente da qualidade Silvana Vaccari, que recebe solicitações das Indústrias farmacêuticas a nível nacional e internacional e emite os certificados de ensaio, respectivos.

Os convênios são assinados através da FATEC e coordenados pela farmacêutica Rosecler Kulmann, junto com a professora Melânia Palermo Manfron, gestora. A equipe executora envolve além dos profissionais do DFI-UFSM, supervisores, analistas e técnicos contratados através da FATEC.

O laboratório tem, em especial, estrutura consolidada para estudos de produtos biotecnológicos, que fazem parte de programas especiais do Ministério da Saúde, são provenientes de importação e tem custo elevado. Paralelamente, as pesquisas decorrentes do intercâmbio estabelecido, contribuem para estudos de medicamentos genéricos e de biossimilares, com inovação, domínio científico e tecnológico na área. Por consequência, contribui para ampliar o acesso da população aos produtos farmacêuticos.

Objetivo do projeto
- Realizar testes e ensaios biológicos, físico-químicos, microbiológicos e imunológicos para a caraterização, avaliação de identidade, pureza, teor e estabilidade de biofármacos, produtos biotecnológicos e farmacêuticos;

-Pesquisar e validar métodos analíticos para biomoléculas e estudos de biossimilares, avançando também para biofármacos sob pesquisa; 

-Viabilizar estudos de equivalência farmacêutica, comparabilidade e controle da qualidade de medicamentos;

O coordenador da pesquisa salienta que o desenvolvimento do projeto beneficia vários aspectos da investigação: os alunos de graduação, de pós-graduação, nível de mestrado e doutorado, contribuindo para a formação de recursos humanos qualificados.

O professor Sérgio acrescenta que a estrutura implantada e a execução do projeto contribuem para a elaboração dos trabalhos de conclusão de curso dos alunos da Farmácia, os TCCs, propiciam campo de estágio para conclusão do curso, teses e dissertações de mestrado e doutorado. Além disso, tem possibilitado a participação em estudos colaborativos internacionais, a convite da Farmacopeia Europeia e da OMS/Organização Mundial da Saúde, para estabelecimento de padrões internacionais de produtos biotecnológicos como eritropoietina, somatropina e heparinas.

Por sua vez, as pesquisas realizadas têm gerado publicações, com impacto na área, preconizando inclusive, métodos alternativos que já estão sendo adotados para ensaios de potência dos biofármacos. Deste modo, este projeto possui uma identidade, uma conotação de suma importância, pois permite que as suas sucessivas ações desenvolvidas em cadeia beneficiem e contemplem alunos, pesquisadores, comunidade e sociedade, pensando no bem comum do ser humano, de forma primordial, como reflexo das atividades de ensino, pesquisa e extensão da UFSM.

O coordenador comenta a importância da FATEC no desenvolvimento do projeto de extensão, com foco na prestação de serviço e atividades de pesquisa: “Destaco que a FATEC tem sido fundamental para a execução dos projetos do CTEFAR, os já concluídos e do presente em andamento, viabilizando os convênios com as Indústrias farmacêuticas e instituições públicas, gerenciando a aquisição de materiais/equipamentos, controles financeiros, contratação de pessoal e remuneração de bolsistas.

Certamente, se houvesse avanço na legislação para agilizar procedimentos de aquisição de material de consumo e consertos de equipamentos, seria ainda mais conveniente. Porém, enfatizo a segurança e eficiência das decisões administrativas e o gerenciamento da FATEC, que tem respaldado o coordenador, em casos de eventuais questionamentos sobre atividades realizadas que são feitas com muito êxito, em todo os sentidos”, enfatiza o coordenador do projeto professor Sérgio Dalmora.

Kelly Martini – MTb 137.25
Assessora de Imprensa da FATEC