Projeto de tratamento de água garante consumo potável e aproveita recursos dos mananciais

quarta, 26 de setembro de 2018.

Bom dia !
Este projeto coordenado pelo Professor Bruno tem um destaque relevante, pois
além do aspecto modernidade, está relacionado diretamente à saúde da população, fato
que por si só já diz da sua importância.
Parabéns ao Professor Bruno e a toda a sua equipe.
Essa matéria pode ser vista na nossa página no facebook:
https://www.facebook.com/FATECSM/
Cordialmente
Prof.Adalberto Meller
Secret.Exec.FATEC

 

O projeto “Estudos de Pré-tratamento de água-filtração em margem e filtração em disco” é coordenado pelo engenheiro sanitarista e ambiental e professor Bruno Segalla Pizzolatti do Departamento de Engenharia e Tecnologia Ambiental – DETA – UFSM que tem como objetivo estudar a viabilidade e eficiência da aplicação de pré-tratamentos, filtração em disco e filtração em margem para a melhoria da qualidade da água bruta, antes de iniciar seu tratamento. Caracterizando a qualidade físico-química e biológica da água do manancial; projetar sistema piloto em filtração em disco e filtração em margem; construir sistemas piloto de bancada e contínuo; monitorar a qualidade da água após sistema de pré-tratamento; realizar estudos comparativos entre os pré-tratamentos, elaborar especificações técnicas dos pré-tratamentos validados para eventual processo químico.

O professor Bruno explica que o projeto se justifica pelo fato da crescente ocorrência de contaminação das águas superficiais e o aumento da demanda por água potável, o que leva a uma necessidade cada vez mais imediata de buscar alternativas reais para os sistemas de tratamento de água em funcionamento das companhias de saneamento, dentre elas a Corsan, uma vez que as mesmas em alguns casos encontram – se operando no limite da sua capacidade máxima, seja pela qualidade ou pela quantidade, mesmo que medidas de saneamento básico sejam efetivamente realizadas no sentido de atender estas necessidades.

O curso d’água ainda continua recebendo despejo contaminado seja por dejetos sanitários, industriais ou pela própria chuva torrencial que carrega detritos para o leito do rio. Tendo em vista que a água bruta vem se alterando continuamente para uma pior qualidade, muitas vezes, deixando de ter as características de água bruta compatível com o tratamento em operação, a adoção de pré-tratamentos em situações já consolidadas isto é, em sistemas em funcionamento (estações de tratamento de água), pode fazer com que a qualidade da água bruta chegue ao início do tratamento com os mesmos padrões (ou melhor) de quando os atuais sistemas de tratamento foram concebidos, fazendo com que estes possam ter uma vida útil maior ou até mesmo receber uma maior vazão.

O coordenador Bruno explica que refletindo sobre este ponto de vista, realizar este estudo e aplicá-lo a uma solução real e imediata, pode trazer vários benefícios, entre eles: ambientais, técnicos, sociais e financeiros. O desenvolvimento desta pesquisa traz a concepção de métodos de pré-tratamento simples, a saber: filtração em disco (FD) e filtração em margem (FM). A ideia principal do projeto é levar menos quantidade de partículas para a estação de tratamento de água, uma vez que os processos a serem estudados promovem uma retenção física das mesmas, a filtração em disco (FD) é de forma artificial, através das ranhuras dos discos e a filtração em margem (FM) de forma natural, aproveitando a própria margem do manancial de forma semelhante a um filtro de areia horizontal, explica o coordenador e professor Bruno.

O projeto ocorre em parceria entre a UFSM-Corsan que, através do Departamento de Novos Negócios e Inovação – DENIN vem investindo em pesquisa aplicada para formação de recursos humanos qualificados e emprego de tecnologias de tratamento alternativo. O professor Bruno salienta que para a consolidação da proposta deste estudo foi de grande importância o apoio e participação ativa da AGITTEC e da FATEC que foram fundamentais no auxílio em todos os processos que envolvem a compra de equipamentos, gerenciamento financeiro dos recursos, prestação de contas e apoio jurídico que são tão necessários no decorrer de toda a pesquisa, complementa o coordenador.

Kelly Martini – MTB 137.25
Assessora de Imprensa da FATEC