Pesquisa do Departamento de Solos do CCR da UFSM tem o objetivo de melhorar a produtividade e a qualidade de vinhos produzidos na Campanha Gaúcha

segunda, 29 de outubro de 2018.

Bom dia !
Projeto interessante que visa melhores práticas de manejo de calagem e adubação em vinhedos,
coordenado pelo Professor Gustavo Brunetto, resultando em mais uvas e vinhos e espumantes
de qualidade superior.
Parabéns ao professor coordenador e toda a sua equipe.
Esta matéria pode ser vista na nossa página da FATEC:
no facebook:
https://www.facebook.com/FATECSM/.
Uma boa e proveitosa semana a todos.
Adalberto Meller
Secret.Exec.FATEC

Pesquisa do Departamento de Solos do CCR da UFSM tem o objetivo de melhorar a produtividade e a qualidade de vinhos produzidos na Campanha Gaúcha do Rio Grande do Sul

O projeto “Calagem e adubações em vinhedos visando produtividades adequadas, uvas e vinhos de qualidade” é coordenado pelo Engenheiro Agrônomo, professor Dr. Gustavo Brunetto, e tem como objetivo estabelecer as melhores práticas de manejo de calagem e adubações em vinhedos, visando produtividades adequadas, uvas e vinhos de qualidade desejada, em solos arenosos na região da campanha gaúcha.

Vinhedos na região da campanha gaúcha

Alguns objetivos do projeto

a) definir os melhores modos de aplicação do calcário em solo arenoso antes da instalação do vinhedo;

b) estabelecer os melhores modos de aplicação de calcário em solos ácidos já cultivados com vinhedos;

c) definir os melhores modos de aplicação do fertilizante fosfatado na adubação de manutenção, em solos de vinhedos com baixo teor de fósforo em profundidade;

d) estabelecer as melhores doses de N, P e K na adubação de manutenção em vinhedos;

e) definir as concentrações mais adequadas de N, P e K no tecido de videiras e conteúdo de P e K no solo de vinhedos.

Processo de melhoramento das videiras  

A justificativa se dá porque o cultivo da videira no Brasil está concentrada na região sul do país. A totalidade da produção de uva é destinada à agroindústria de sucos, vinhos e espumantes. O Rio Grande do Sul é o maior produtor de uvas do Brasil e possui em torno de 50 mil hectares cultivados com videiras. A região da Serra Gaúcha é responsável por 90% da produção, o que corresponde a 800 mil toneladas de uva para elaboração de vinhos e espumantes. A partir da década de 70, devido à expansão das fronteiras agrícolas, campos naturais da região da Campanha Gaúcha do RS foram incorporados ao sistema de produção de uvas. Assim, cultivares de uvas tintas como Cabernet Sauvignon, Tannat, Merlot e Alicante Bouschet, entre outras, bem como cultivares brancas como Chardonnay, Riesling, entre outras, foram implantadas pelos viticultores.

Vinhedos na região da campanha gaúcha

Os solos sob campo natural da região da Campanha Gaúcha do RS normalmente são localizados em relevo ondulado, são ácidos e possuem baixa fertilidade natural. Por isso, torna-se necessária a aplicação de corretivos da acidez do solo (exemplo, o calcário) e adubações de plantio (ou pré-plantio), crescimento e manutenção. Por exemplo, em solos do município de Santana do Livramento - RS,

onde está localizada a área experimental do presente projeto. No entanto, nesta região e em outras pelo Brasil não são suficientemente conhecido os melhores modos de aplicação de calcário e o impacto sobre o crescimento do sistema radicular das videiras, crescimento da parte aérea, produtividade e qualidade de vinhedos. Também, necessita-se conhecer melhor os modos de aplicação de fertilizantes em áreas a ser incorporada a viticultura, também visando elevados rendimentos, mas ao final, vinhos de qualidade desejada pelo consumidor. Para isso, estudos estão sendo realizados em vinhedos pertencentes à Vinícola Salton, que é parceira do projeto. Neste estudo em parceria com a Vinícola, recursos são destinados para aquisição de materiais de consumo e para as pesquisas, como também, está sendo feito o investimento em um bolsista de mestrado. O tema desta Dissertação está vinculado ao presente projeto.

Com a realização do estudo espera-se melhorar as recomendações de calagem e adubações em solos arenosos, que são frágeis e possuem baixa fertilidade natural,  possibilitando elevadas produtividades, mais uvas, vinhos e espumantes de elevada qualidade.

O professor Gustavo comenta que a Fatec auxiliou na tramitação do projeto no interior da UFSM e tem auxiliado adequadamente no gerenciamento dos recursos disponíveis para a realização do desenvolvimento do mesmo.

Kelly Martini – MTb 137.25
Assessora de Imprensa da FATEC