Proposta de Implantação de um Centro Vocacional Tecnológico no Âmbito das Escolas Técnicas Vinculadas da UFSM

segunda, 03 de junho de 2019.

Bom dia !
Projeto de cunho social que visa a
inclusão produtiva e tecnológica, geração de renda e inserção ocupacional,
objetivos fundamentais para os CVTI’s - Centro Vocacional de Tecnologia e Inovação.
Parabéns aos professores Coordenadores  Dr. Luciano Caldeira Vilanova, do Colégio Técnico Industrial de Santa Maria - CTISM
e professora Dra. Marta Von Ende, do Colégio Politécnico da UFSM, pela repercussão e abrangência do projeto.
Esta matéria pode ser vista também no facebook:
https://www.facebook.com/FATECSM/
Uma boa semana a todos
Adalberto Meller
Sec.Exec.FATEC

Projeto do Colégio Técnico Industrial e Politécnico da UFSM viabiliza a inserção social
através da qualificação de jovens e adultos para o mercado de trabalho  

O projeto intitulado “Proposta de Implantação de um Centro Vocacional Tecnológico no Âmbito das Escolas Técnicas Vinculadas da UFSM” tem o intuito de atender as populações da região administrativa oeste da cidade de Santa Maria, assim como a região de abrangência da Quarta Colônia de Imigração Italiana por meio de cursos de formação inicial e continuada - FIC contemplados nos seguintes eixos tecnológicos:

- ambiente e saúde;
- controle e processos industriais;
- desenvolvimento educacional e social;
- gestão e negócios;
- informação e comunicação;
- infraestrutura;
- militar;
- produção alimentícia;
- produção industrial; recursos naturais;
- turismo,
- hospitalidade e lazer e outros.

Capacitações desenvolvidas nas unidades da UFSM (Colégio Politécnico e Colégio Técnico Industrial - CTISM),  no Colégio Estadual Manoel Ribas - Maneco e na Escola Estadual Bom Conselho- em Silveira Martins

O projeto é coordenado no Colégio Técnico Industrial de Santa Maria - CTISM pelo engenheiro mecânico, professor Dr. Luciano Caldeira Vilanova e no Colégio Politécnico da UFSM pela administradora, professora Dra. Marta Von Ende. O professor Luciano explica que o projeto possui financiamento do Ministério da Ciência Tecnologia, Inovações e Comunicações - MCTIC e busca por meio dos cursos de formação profissional, contribuir com a efetividade dos recursos investidos no Tecnoparque, situado no Distrito Industrial. A iniciativa utiliza os espaços disponíveis à UFSM naquele empreendimento de forma a atender aos objetivos do projeto, além de espaços na Unidade da UFSM em Silveira Martins. Além desta contribuição o projeto tem ainda como objetivos:

- Aumentar a oferta de vagas em educação profissional de acordo com as metas 3, 10 e 11 do Plano Nacional de Educação - PNE;
- Contribuir na operacionalização da estratégia 9.11 do Plano Nacional de Educação, por meio da implementação de programas de capacitação tecnológica da população jovem e adulta, direcionados para os segmentos com baixos níveis de escolarização formal, articulando os sistemas de ensino, a rede federal de educação profissional, científica e tecnológica, por meio de ações de extensão desenvolvidas no Centro Vocacional de Tecnologia e Inovação - CVTI, com tecnologias assistidas que favoreçam a efetiva inclusão social e produtiva dessa população.

O professor Luciano explica que o projeto se justifica porque a região oeste de Santa Maria é caracterizada pela presença do Distrito Industrial da cidade e pela população de mais 55 mil habitantes, que em boa parte fazem parte de um recorte social que podemos inferir como necessitados de inclusão social, inclusão produtiva e tecnológica, geração de renda e inserção ocupacional, objetivos fundamentais para os CVTI’s.

A instalação do CVTI na região oeste de Santa Maria e na região da Quarta Colônia de Imigração Italiana do RS atende a diretriz da proximidade às comunidades urbanas e rurais de baixa renda ou povos tradicionais presentes na região proporcionando a ampliação de oportunidades educacionais, facilitando o acesso ao processo de formação e de qualificação para a população local.

Por outro lado a oferta de um CVTI pelas duas unidades de educação profissional da UFSM, CTISM e Politécnico, contribuirá com a indissociabilidade entre o ensino, a pesquisa e a extensão, pois estes princípios são norteadores das práticas institucionais da UFSM de acordo com o seu estatuto, seu PDI e plano de extensão.

Capacitações desenvolvidas nas unidades da UFSM (Colégio Politécnico e Colégio Técnico Industrial - CTISM),  no Colégio Estadual Manoel Ribas - Maneco e na Escola Estadual Bom Conselho- em Silveira Martins

As ações de extensão tecnológica do CVTI poderão ser desenvolvidas por meio de consultorias técnicas e gerenciais na elaboração e execução dos projetos para a melhoria dos serviços e processos produtivos para a região central do estado do RS. Fazendo a difusão das tecnologias geradas e adaptadas pelo desenvolvimento de pesquisas aplicadas às necessidades e realidades sociais.

O professor Luciano comenta que até o momento já foram promovidas atividades na Unidade UFSM - em Silveira Martins, na Escola Estadual Bom Conselho - em Silveira Martins e no Colégio Estadual Manoel Ribas – Maneco - em SM. O projeto contribuirá ainda com a Secretaria de Educação do Município de SM no atendimento de cerca de 1400 alunos em idade fora de série, através do projeto Conexão de Saberes da Secretaria do Município. Os cursos e qualificações não contemplam somente jovens em idade escolar, mas também jovens, adultos e idosos em situação de vulnerabilidade social, acrescenta o coordenador.  

O professor Luciano comenta que o investimento recebido foi utilizado para a aquisição de mobiliário escolar diferenciado, elevadores para acessibilidade nas duas unidades, implantação de dois laboratórios de informática, material de projeção multimídia, um laboratório da área de saúde com mobiliários e diversos simuladores, estrutura de acolhimento e veículo de transporte para os alunos. O MCTI não oferece bolsa para os profissionais envolvidos no projeto, mas as unidades estão disponíveis para que por adesão qualquer profissional da UFSM possa realizar ações de formação profissional ou de extensão tendo como público as populações atendidas pelo projeto.

Para o coordenador Luciano a parceria com a FATEC foi fundamental para que se tornasse possível a aquisição dos materiais necessários o que contribuiu e continuará contribuindo para a continuidade destas ações, explica o coordenador.

Kelly Martini – MTb 137.25
Assessora de Imprensa da FATEC