O projeto do Setor de Virologia da UFSM busca através do diagnóstico de enfermidades contribuir com melhor rentabilidade aos produtores rurais

segunda, 30 de setembro de 2019.

O projeto do Setor de Virologia da UFSM busca através do diagnóstico de enfermidades contribuir com melhor rentabilidade aos produtores rurais

Prédio novo da Virologia

O projeto de prestação de serviço “Diagnóstico Virológico” é coordenado pelo médico veterinário professor Dr. Rudi Weiblen do Setor de Virologia do CCR. O projeto possui o objetivo de:

- incrementar o diagnóstico e o controle das principais enfermidades virais e a produção de vacinas autógenas;

- diagnosticar viroses dos animais de companhia e de produção; 

- realizar isolamentos, sorologia para auxiliar na profilaxia e controle adequado das enfermidades víricas;

- identificar e caracterizar novas cepas para assim orientar proprietários rurais, médicos veterinários e alunos, para assim modernizar o controle das enfermidades transmitidas por agentes virais inclusive aquelas de importância em saúde pública;

- produzir vacinas autógenas experimentais para papilomatose dos animais;

- testar e avaliar produtos e vacinas virais lançadas no mercado.

Segundo o professor Rudi a justificativa do estudo se dá devido o Setor de Virologia – SV da UFSM ter sido fundado no ano de 1983, e nestes 36 anos, ter prestado significativo apoio no diagnóstico de doenças víricas, na produção de reagentes e vacinas, testes de soro-neutralização, isolamento e técnicas moleculares, podendo evitar a proliferação e a contaminação de animais que estejam contaminados por algum vírus. Então, durante esse período, o Setor de Virologia realizou mais de 100 mil exames para diagnóstico, atendendo produtores, veterinários, empresas de todos os estados brasileiros, com maior enfoque no RS, principalmente da região central do estado.

Laboratório de virologia onde são realizados os testes

Os coordenadores têm ampla experiência da realidade do campo e da rotina de clínicas veterinárias, e isso, permite aos profissionais do laboratório fornecer o diagnóstico e auxiliar na prevenção da ocorrência de enfermidades víricas. Assim, o Setor de Virologia auxilia a pecuária brasileira e internacional e a clínica de pequenos animais. Adicionalmente, além de auxiliar produtores, a realização de projetos de prestação de serviço permite a capacitação de alunos de graduação nos cursos de Medicina Veterinária, da residência em Medicina Veterinária, Biomedicina, Biologia, etc, na realização de técnicas laboratoriais (isolamento, sorologia e técnicas moleculares). O professor Rudi informa que até o momento o projeto conta com bolsistas de iniciação científica, mestrado, doutorado e pós-doutorado e conta com a parceria e a colaboração do médico veterinário, professor, Dr. Eduardo Furtado Flores.

O diagnóstico e a orientação permitem levantar assuntos que serão empregados na publicação de trabalhos que serão objetos de monografias, dissertações e teses dos alunos, e também, de cooperação internacional.

O Setor de Virologia está apto a orientar os proprietários rurais, médicos veterinários, residentes e alunos no referente a vacinações e formas de controle de enfermidades virais, tanto as doenças presentes no Brasil como as exóticas (oriundas eventualmente de outras regiões do mundo), bem como, o uso de vacinas autógenas (produzidas para oferecer mais proteção por serem mais específicas contra as doenças) para papilomatose.

O professor e coordenador Rudi explica que a FATEC é parceira do projeto, e por mais de 30 anos tem viabilizado ao setor convênios nacionais e internacionais, permitindo com isso, o pagamento de bolsas a alunos e compra de insumos, manutenção de equipamentos tudo com maior agilidade. Assim o laboratório é referência nacional e internacional na área de virologia animal, explica o coordenador.
Kelly Martini – MTb 137.25
Assessora de Imprensa da FATEC