FATEC - Projeto de captação financeira contempla a Orquestra Sinfônica de Santa Maria/UFSM pela passagem de seus 50 anos

Projeto de captação financeira contempla a Orquestra Sinfônica de Santa Maria/UFSM pela passagem de seus 50 anos

Postado em 12/12/2016.

 

O coordenador do projeto, professor Marco Antonio de Almeida Penna, explica a programação da Orquestra Sinfônica de Santa Maria – UFSM, projeto no qual tem a significativa parceria com a FATEC.

Será realizada chamada pública, durante o mês de dezembro, para dar condições de iniciar o desenvolvimento das atividades e procedimentos que atraiam e habilitem a recepção de apoio na conquista de parceiros financeiros, seja na modalidade de pessoa física, com apoiadores doadores ou na pessoa jurídica, através de empresas patrocinadoras. O objetivo é de constituir suporte financeiro para viabilizar a programação com prioridade imediata de aplicação dos recursos para o primeiro semestre de 2017.

Os critérios e objetivos aos interessados em participar do projeto para pessoa física e jurídica

Ao atrair os parceiros financeiros, sejam doadores, patrocinadores, empreendedores e/ou investidores (empresas jovens, com perfil inovador e com alto potencial de crescimento) para o start-up da Orquestra Sinfônica de Santa Maria, busca-se novas soluções, ao oferecer uma diferenciada oportunidade aos seus investidores, servindo como forte alicerce pela participação da sociedade, ao formar a base de apoio e sustentação da Orquestra com o aporte financeiro inicial necessário para viabilizar a Programação do 1º semestre de 2017.

Com o intuito de despertar o interesse em uma participação ativa e responsável no sucesso e desenvolvimento da Orquestra Sinfônica de Santa Maria e do movimento orquestral da região, como um todo, sob o ponto de vista da interação sustentável das seguintes dimensões: educação, social, cultura, economia e turismo, vem mostrar que o capital que será investido irá contribuir significativamente para capacitar pessoas e empresas a atingir seus objetivos e metas, bem como, dar retorno de maneira sólida e inteligente à sociedade.

Benefícios oferecidos

Vincular o nome da empresa e/ou sua marca à Orquestra Sinfônica de Santa Maria – no selo que há 50 anos vem cumprindo a missão de difundir a música orquestral e formar público e músicos:

- Contribuir para a sociedade em geral, especialmente com o desenvolvimento cultural de Santa Maria e região, em destaque para o movimento orquestral;

- Oferecer para o público em geral acesso à cultura, permitindo o trânsito entre diferentes culturas que formam nossa diversidade cultural;

- Permitir que o público tenha contato com vários instrumentos e com a dinâmica orquestral, criando um ambiente propício para a descoberta de novos interesses e vocações entre o público jovem;

- Aumentar o número de eventos culturais na cidade, contribuindo para a formação de um cenário propício ao desenvolvimento de um turismo cultural;

- Contribuir significativamente para a única orquestra sinfônica universitária do sul do Brasil e uma das primeiras do gênero criadas no Brasil;

- Contribuir significativamente com a Orquestra Sinfônica de Santa Maria, apoiando-a neste novo momento de sua trajetória, na busca pela excelência artística e organizacional;

- Oportunizar a profissionalização de jovens músicos;

- Contribuir para a fixação de músicos de alto nível na cidade;

Além de lhe dar oportunidade de ter seu nome associado ao desenvolvimento da cultura no Brasil, todos os colaboradores ganham.

A Orquestra Sinfônica de Santa Maria, Orquestra da UFSM

A Orquestra Sinfônica de Santa Maria foi criada em 1966, na época como Orquestra de Câmara da UFSM, ainda na gestão do Reitor fundador, professor José Mariano da Rocha Filho. A partir de 1988, com a fundação da Associação Cultural Orquestra Sinfônica de Santa Maria/AOSSM, sua manutenção passou a ser compartilhada, na forma de convênio parceria entre a Associação e a Universidade.

Em 1992, a Orquestra, passa a ser órgão suplementar do Centro de Artes e Letras/CAL, ligada ao gabinete do Reitor e desde então, vem se organizando institucionalmente, a partir das demandas curriculares, dos Cursos de Música, institucionais e da sociedade, de Santa Maria e região.

A projeção da Orquestra tem alcançando notória visibilidade, por meio do apoio institucional e da atuação na comunidade. O que tem demandado estruturas mais apropriadas. A produção cultural exige, cada vez mais, tratamento de quantidade de eventos como da qualidade artística e organizacional. A Orquestra Sinfônica é dos órgãos que mais e melhor representa a instituição, considerando as características agregadoras da arte musical, especialmente a prática orquestral sinfônica, devido a importância no contexto da Civilização Ocidental.

A Orquestra Sinfônica é, ao mesmo tempo, um conjunto de disciplinas curriculares dos Cursos de Música da UFSM, um laboratório de prática de orquestra do Departamento de Música. A Orquestra é a segunda orquestra sinfônica formada no RS, e a única orquestra sinfônica universitária do RS e uma das primeiras do gênero criadas no Brasil. Na atualidade a Orquestra Sinfônica é formada por cerca de 40 músicos, dentre os quais professores e alunos de graduação do curso de Música da UFSM, alguns egressos da instituição e músicos profissionais contratados. Anualmente a Orquestra tem realizado, entre 12 a 23 concertos, tanto em Santa Maria como em outros municípios e o público varia entre cinco a dez mil pessoas por ano. O que se pretende é direcionar seu desenvolvimento em termos de qualidade do trabalho e de público atingido.

Séries de Apresentações

- Recitais camerísticos - concertos de pequenos grupos (música de câmara), em dois recitais por semestre letivo, em local central com capacidade para cerca de no mínimo 200 pessoas, estimativa (meta) de público por semestre: 400 pessoas, perfazendo um total no ano de 800 pessoas; público alvo: comunidade em geral,

- Concertos da temporada oficial - concertos com obras sinfônicas de referência com solistas convidados (indicados ou selecionados), em dois programas/repertórios por semestre letivo, cada um com duas récitas aproximadamente, totalizando quatro concertos por semestre em média, em locais com capacidade entre 340 a 1200 pessoas; estimativa (meta) de público por semestre: três mil pessoas, perfazendo um total no ano de seis mil pessoas; público alvo: comunidade em geral,

- Concertos didáticos - concertos orquestrais de cunho didático, em duas récitas por ano em outubro: um à tarde para crianças e outro à noite para a comunidade em geral, em locais com capacidade entre 340 a 1200 pessoas; estimativa (meta) de público por ano: 1500 pessoas; público alvo: crianças e famílias,

- Apresentação de abertura do Festival de Inverno da UFSM - apresentações orquestrais com repertório sacro/clássico incluindo solista(s) cantor(es), em duas récitas por ano, que ocorre em julho: uma no centro de Santa Maria, na Catedral e outra em Vale Vêneto, em locais com capacidade para cerca de 500 pessoas; estimativa (meta) de público por ano: mil pessoas; público alvo: comunidade em geral,

- Concerto pelo aniversário da UFSM - um concerto sinfônico clássico-popular por ano, em dezembro, no Campus em local com capacidade para cerca de 1200 pessoas; estimativa (meta) de público por ano: 1200 pessoas; público alvo: comunidade acadêmico-universitária (alunos, professores, técnico-administrativos e familiares).

O professor coordenador salienta que, este ano, o Ministério da Educação realizou cortes significativos no repasse de verbas, em função do atual momento em que o Brasil vem passando, e que este suporte de apoio é muito importante e imprescindível para o desenvolvimento e a sustentação das ações do projeto – a viabilização do funcionamento do laboratório sinfônico na UFSM. O professor Marco Antonio conta com uma equipe de colaboradores entre professores, técnico-administrativos, músicos, alunos e parceiros. O professor Alexandre Eisenberg exerce, de modo compartilhado, funções na regência e na direção artístico-pedagógica. Para o coordenador, Marco Antonio, a importância da FATEC para o projeto vem no sentido que amplia as possibilidades de financiamento da Programação da Orquestra Sinfônica de Santa Maria, através de doações e patrocínios, bem como, do gerenciamento do próprio projeto, especialmente quanto ao suporte nos editais, na contratação de pessoas e serviços e nos relatórios.

Kelly Martini – MTb 137.25

Assessora de Imprensa da FATEC 




Ver todas Notícias.

Desenvolvido por Fernando Denardin