FATEC - Projeto do Laboratório de Análises Químicas, Industriais e Ambientais – LAQIA - UFSM afirma reconhecimento pelo trabalho desenvolvido

Projeto do Laboratório de Análises Químicas, Industriais e Ambientais – LAQIA - UFSM afirma reconhecimento pelo trabalho desenvolvido

Postado em 26/07/2017.

O projeto “Desenvolvimento e Aplicação de Métodos para Controle de Qualidade Química de Amostras de Interesse Industrial, Toxicológico e ou Ambiental” coordenado pelo professor Dr. em Química Analítica Fabio Andrei, assinado ainda em janeiro deste ano, com o objetivo de realizar análises químicas visando arrecadar recursos para a manutenção, ampliação e compra de equipamentos para o laboratório, através da prestação de serviços de forma interna e externa à empresas solicitantes público-privadas e departamentos da UFSM, sendo que,  para a Patrulha Ambiental e hospitais, a análise de água tem sido feita sem custo.
As atividades consistem em realizar análise físico-química da água, assim como diversos outros tipos de amostras, para fins de terminação de diferentes elementos. Os serviços prestados pelo LAQIA tem como clientes, algumas empresas como a Petrobras para o monitoramento de contaminantes metálicos em petróleos e suas frações; a Eletronuclear no controle de qualidade de isolantes; a Anvisa na determinação de metais pesados presentes no medicamento atimoniato de meglumina, o qual é comercializado em diversos países da América Latina, entre outros. Recentemente, foi firmada parceria com ervateiras da região que se preocupam com a presença de elementos como cádmio, chumbo, e arsênio, e que colaboram com o Sindicato dos Produtores de Erva-Mate/SINDMATE, visando atender à regulamentação de produção e comercialização do produto. De maneira geral, o LAQIA é especialista na aplicação e aperfeiçoamento de métodos analíticos para determinação de parâmetros físico-químicos, compostos orgânicos, macro elementos e elementos traço em amostras de produtos industrializados como fármacos, assim como minérios, plantas, amostras biológicas, amostras ambientais, entre outras.

Devido a crescente preocupação e necessidade de controle ambiental e toxicológico, junto do constante desenvolvimento industrial, no qual exige a adequação e o desenvolvimento de métodos analíticos que permitam o monitoramento químico de amostras industriais como petróleo, polímeros, nanotubos de carbono, fármacos, amostras biológicas de alimentos e tecidos ou fluídos biológicos (urina, sangue) e ambientais (águas, efluentes, minérios, plantas). [F1] Sob este aspecto, o Laboratório de Análises Químicas, Industriais e Ambientais – LAQIA (coordendado pelo Prof. Érico Flores), do Departamento de Química da UFSM, tem atuado no desenvolvimento e aperfeiçoamento de métodos analíticos que permitam análises de diversas amostras, que possibilitem a obtenção de resultados confiáveis e com menor consumo de tempo e reagentes, que geralmente possuem alto custo.
Os diversos métodos desenvolvidos pelo laboratório têm sido demostrados em publicações de periódicos nacionais e internacionais, envolvendo grande número de recursos humanos em nível de graduação e pós-graduação. O desenvolvimento ou adequação de metodologias, justificativa-se, através da execução deste projeto, que permite maior eficiência na execução de análises, que trazem vantagens frente os métodos atuais. O LAQIA possui experiência e reconhecimento de mais de 20 anos, no desenvolvimento e aplicação de metodologias para diversas finalidades, no atendimento de empresas e institutos governamentais, distribuídos no RS, Brasil e no exterior. Como exemplo de aplicação, foi trabalhado o desenvolvimento de metodologias para a determinação de impurezas em petróleo e em resíduos de destilação atmosférica de petróleo, que resultou em cerca de artigos científicos e diversas apresentações de trabalhos em eventos nacionais e internacionais, com recebimento de diversos prêmios. Foram desenvolvidos também, metodologias para a determinação de contaminantes para o controle de qualidade de fármacos, minérios, chocolate, mel, erva-mate, farinha, margarina, peixe, gelatina, amostras botânicas e biológicas e de diversos segmentos da indústria (polímeros, nanotubos de carbono, suplementos alimentares e cigarros). O desenvolvimento destas metodologias é possível devido aos equipamentos adquiridos através de projetos de cooperação com empresas e instituições, bem como, a infraestrutura instalada no laboratório. O coordenador do projeto, professor Fabio Duarte, explica a importância da Fundação para o desenvolvimento e aplicação das pesquisas. “A FATEC fornece todo o apoio para aquisição de materiais e prestação de contas, sempre com o devido respaldo jurídico”, salienta o pesquisador.

Kelly Martini – MTb 137.25
Assessoria de Imprensa da FATEC




Ver todas Notícias.

Desenvolvido por Fernando Denardin